Playlist + Review + Thousand Accesses

by - fevereiro 21, 2013








































Essa é minha primeira resenha. E para isso escolhi um livro que eu queria muito ganhar de presente na época do lançamento e acabei ganhando de presente de aniversário de uma amiga. Esse é o primeiro livro publicado do Federico Devito e do Gutti Mendonça. Tive a oportunidade de acompanhar a criação do livro junto com outras pessoas, pelas redes sociais (facebook e twitter) dos próprios autores. Que adoravam postar novidades sobre desenhos da capa e os possíveis nomes do livro. Foi o que me deixou com mais vontade ainda de te-lo.
























Sinopse: Os meninos são, sim, capazes de amar. ”Tem um ditado que diz que o amor é cego. É justamente o contrário. Quando você ama de verdade, é capaz de ver coisas que ninguém consegue. Falam que você não consegue enxergar os defeitos, pura mentira também! Você vê, estão todos lá. Mas vê também algo que só você pode, como lidar com eles e contorná-los. Então, o amor não é cego, ele é a maior lente de aumento que já inventaram.” Como acontece esta coisa chamada amor? Nasce junto com a gente, mas não depende só de nós. A gente sofre e faz sofrer, ama e é amado. E com isso aprende muita coisa. Lições que trazem consequências, problemas e soluções. O preço desse aprendizado transforma o garoto em um homem. Esta narrativa, cheia de incidentes, mostra que – ao contrário do que dizem algumas garotas – os meninos são, sim, capazes de amar. Quais as transformações que o amor pode provocar na gente? O que ele ensina? Qual o seu preço? Acompanhe a jornada de um jovem, transformado pelo amor, à procura dessas respostas.
























É um livro bem, como posso dizer... Cansativo de se ler. A historia tem muitas reviravoltas, e os personagens me deixaram um pouco confuso de inicio. Sem contar quem alguns tem até nomes iguais, o que me deixou sem entender o fio da meada no decorrer da historia. Fora que o diálogos intermináveis que pareciam nunca acabar.
Mas como eu disse no começo desse post, era um livro que eu estava querendo muito ler. Demorei um pouco por conta das longas paginas de blá, blá, blá. E quando terminei, fiquei tipo: E aí? O que aconteceu? O que vem agora? Cadê o final do livro? Mas aí está a grande surpresa dos autores, o livro terá uma continuação (que pelo que andei vasculhando, já está quase pronta). Espero que eles tenham aprendido com os erros do primeiro.





















5 coisas que gostei:
1- Lições de vida. (Aprendi coisas sobre relacionamentos a distancia que vou levar pra vida inteira.)
2- Os laços de amizade entre os personagens, apesar das longas distancias entre eles. (Amizades verdadeiras são assim.)
3- A diversidade de gírias adolescentes usadas pelos autores.
4 - Folhas amareladas. (São ótimas para leituras em qualquer ocasião e tempo.)
5 - A auto-confiança do personagem principal em acreditar nos seus ideais. (Queria ser assim.)

5 coisas que não gostei:
1 - Em nenhum momento do livro se fala o nome do personagem principal. (Eles dizem até os nomes das pedras, menos do dito cujo.)
2 - Muito meloso esses casais. Eles foram realistas até demais.
3 - A capa. Tem muita informação.
4 - Muitos diálogos que poderiam ser descartados.
5 - Não ter final. (O que me deixa com mais ódio nessa vida e começar a ver uma coisa e essa coisa não ter um final concreto ou descente.)





































ISBN: 978-85-63219-66-4 Editora: Novo Conceito Páginas: 366
Sobre os autores: Federico Devito facebook/twitter/tumblr
Gutti Mendonça twitter/site
Modelo das fotos: Mah Jéssica Sales

E como disse a Nathy Miranda: Se você é diabético tome insulina antes de lê-lo, pois é mel do começo ao fim...

E pra comemorar os 1000 acessos aqui no blog, criei uma playlist alegrinha pra comemorar, chama quem tá aí do seu lado pra dançar. É só clicar no play e se divertir.

You May Also Like

2 comentários

  1. Oi Carlos, tudo bem?
    Primeiramente, obrigada por ter lido minha resenha e me citado no post =D

    Cara, morri de rir com sua frase "Espero que eles tenham aprendido com os erros do primeiro." É a gente sempre espera, haushaushaus

    Como você citou acho que um dos problemas realmente foi o excesso de diálogos fúteis. E esses casai muito melosos dão até carie hahahaha

    Gostei da do seu formato de resenha com as fotos =)

    Até mais^^
    Beijos,
    http://www.natocacomacoruja.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário e por ter gostado da minha resenha, foi a minha primeira, espero fazer outras.
      Sua resenha sobre esse livro me inspirou a fazer uma sobre ele também.

      Excluir